Acreditas em...

Noutro dia falava com alguém que genuinamente tinha crenças muito próprias relativas a outras raças! Embora roçasse a xenofobia, reparei que a própria pessoa não sabia explicar muito bem o porquê dessa forma de pensar e apesar disso a defendia veemente. Após 5 minutos de conversa, vi que a crença era antiga e tinha sido passada pelos pais, logo estava profundamente enraizada e ligada a sentimentos muito poderosos que a sustentavam.

Como é que definimos no que acreditamos? Se olharmos hoje para aquilo que acreditamos estar certo, fomos nós que criamos essas crenças, ou elas foram induzidas/impostas pela sociedade, pais, professores, grupos de amigos, etc?

Na Programação Neuro-Linguística mostra-se que os valores e crenças são o ponto fundamental de interpretação da realidade, pelo que definem o que pensamos sobre ela, logo o que sentimos, logo o nosso comportamento e por isso os nossos resultados! Se as crenças estão directamente ligadas aos nossos resultados, é importante sabermos exactamente quais são e sermos nós a defini-las?

Neste momento há pessoas que estão a pensar: “Que parvoíce!! Há lá maneira de alterarmos crenças?!?!? Se nós acreditamos numa coisa é porque é verdade!! E se não for verdade, então estou errado e isso significa que sou um falhado!!!” (esta ultima parte fui eu que juntei só para tornar mais ridículo!) Existem inúmeras maneiras de alterar de forma definitiva e permanente qualquer crença que tenhamos e o facto de o fazermos mostra que somos inteligentes o suficiente para nos adaptarmos à realidade e circunstâncias (tal como quando deixamos de acreditar no Pai Natal…).

Mais importante, do que mostrar exactamente como podemos alterar as nossas crenças, é que cada um de nós perceba as crenças que tem e se elas te estão a servir ou a impedir de teres sucesso. Aquilo em que acreditas, possibilita-te que tenhas o sucesso que queres e que o mantenhas de forma sustentada ou estás convencido de que isso só acontece aos outros e que alguns nasceram com mais sorte e por isso tem todas as oportunidades??

Vou partilhar um segredo: Quer acredites na primeira ou na segunda, vais sempre estar certo…

3 comentários:

Dora disse...

Simplesmente fantastico!!!!

Paulo Carvalho disse...

Se não colocarmos em causa tudo aquilo que nos foi passado como sendo uma verdade indiscutível, nunca iremos conseguir alterar a nossa forma de ser. A auto-crítica é fundamental para melhorarmos enquanto ser sociável e para melhor nos adaptarmos à contante evolução de uma sociedade que vive em constante mutação.

Ricardo Peixe disse...

Tal como na Natureza, se não estamos a crescer, estamos a morrer!