Comportamento que gera Resultados...

Para quem já acompanha este blog há algum tempo, penso que será um ponto "assente" que os nossos resultados são na sua maioria influenciados pelos nossos comportamentos... A quem este conceito for mesmo estranho, peço que leia alguns dos posts anteriores, por forma a compreender melhor o que escrevo a seguir.

Claro que esta premissa não tem implicito que controlamos todas as condicionantes externas, pois naturalmente existe muito que não depende da nossa acção para acontecer e que pode influenciar o nosso resultado final.

Na semana passada, durante uma sessão de Introdução à PNL (pela Life Training) alguém colocou a seguinte questão: "Porque hei-de estar eu a aplicar o meu tempo e energia a trabalhar essas questões do foro interno quando um acontecimento externo pode influenciar completamente o resultado?". Eu pensei: "Excelente questão." :)

Por que raio havemos de o fazer? A que propósito havemos nós de dedicar tempo a algo, quando as condicionantes externas que não controlamos podem, num milésimo de segundo, modificar tudo?

Apercebi-me de que algumas pessoas estão à procura da "fórmula mágica", da "chave dourada", da "poção gaulesa" que magicamente faz com que tudo resulte, SEMPRE, sem hipoteses de falhar. Pessoalmente, não acredito que tal exista! E por isso convido todos que se encontram nessa busca a encetá-la noutro blog e noutras formações e serviços pois aqui não está.

O que preconizo e desenvolvi ao longo de anos de experiência, teste, estudo e procura, são processos, ferramentas e conhecimentos que quando conjugados com uma atitude vencedora e uma capacidade de trabalho e dedicação, aumentam exponencialmente as nossas hipoteses de ter gigantesco sucesso. E se não o atingirmos, a solução passa por perceber o que correu bem, entender onde podemos melhorar e voltar à carga... até conseguir o sucesso ou perceber que não o queremos e passar para outra (seguindo o mesmo processo).

Quando posto desta forma, este método parece infalivél. não é? :)
Se de facto não desistirmos, nunca verdadeiramente falhamos... a não ser quando não aprendemos!


3 comentários:

Paulo Lontro disse...

Se de facto os factores externos nos fizessem parar, então nunca faríamos nada pois, que eu saiba, eles existem e existirão sempre!

Dani disse...

os factores externos são neutros. apenas adquirem significado após a interpretação que cada um de nós lhes dá. Logo o que nos influencia é uma escolha interna baseada nas nossas crenças e filtros e memórias... dá que pensar!

Ricardo Peixe disse...

:):)