Rapport - O segredo das relações

A pedido de uma das minha mais queridas leitoras, este post vai de encontro a como podemos cativar mais pessoas no local de trabalho e como podemos parecer mais credíveis!

O local de trabalho é praticamente igual a qualquer outro ambiente quando se trata de relacionamentos e a maneira de cativar pessoas ou parecer credível, é também praticamente a mesma que em qualquer outro ambiente!

Vamos explorar um pouco mais sobre como podemos prender a atenção e obter o respeito das pessoas.

O segredo é muito simples... RAPPORT!
Em português a melhor tradução que encontro é "correspondência", isto é, um forte sentimento de ligação, de empatia, uma sensação de familiaridade com outras pessoas. Esta técnica é a pedra basilar dos melhores vendedores do mundo e funciona em qualquer contexto.
O objectivo é criarmos uma sensação com qualquer pessoa, igual a que se a conhecessemos há anos.

Alguns estão a pensar: "isso parece-me um pouco falso", mas não é de todo isso. O objectivo não é ser falso ou enganar a pessoa a pensar que gostamos dela, é sim mostrar-mos o respeito por ela, para ela se sentir ouvida, compreendida e por isso se cria uma relação de confiança.

Estive anos na área das vendas e só tive conhecimento (formal) das técnicas de rapport há cerca de 4 anos. Algumas delas já as fazia (tal como todos nós) inconsciente e o facto de trazer essas informações para o meu pensamento e pôr em prática, tornou-me num dos melhores vendedores da minha área em Portugal. Conseguia mais facilmente conhecer as pessoas, saber exactamente o que elas queriam e por isso o que lhes propunha era o que as servia. Conheci pessoas muito bonitas e histórias de sucesso que ainda hoje prezo muito.

REGRA FUNDAMENTAL:
É essencial sermos sempre sinceros com os outros e principalmente connosco. Se não o formos, os outros vão reparar... vão achar que há qualquer coisa errada e não nos dão credibilidade!

PS: O tópico (como podem ver...) é muito extenso e se quiserem de facto saber quais as técnicas enviem-me mail para rpeixe@gmail.com e tenho todo gosto em vos enviar o ebook "Os 10 Segredos do Vendedor de Sucesso" onde podem aprender como criar rapport.

2 comentários:

seasky disse...

Olá, porque de vez em quando tens a amabilidade de deixar comentários no meu hi5.
Porque gosto de partilhar. ARC

http://somedaysomeway.blogs.sapo.pt/

Someway: Em Busca do Gesto Perdido

Someway: Todas as acções conscientes: de “má fé”, egoístas, traiçoeiras…, tomadas contra outros, irão revelar-se contra nós próprios em última instância.



Pensar ‘mal’ dos outros, às vezes dá jeito, preenche o nosso ego, evita que nos preocupemos, mas também as mais das vezes representa insegurança, esconde medos...

Não interessa arranjar culpados, importa sim resolver tudo da melhor forma.



Por outro lado, não devemos falar mal de ninguém, é semear o negativo por todo o lado.

Não devemos julgar, não devemos criticar, estamos a trazer mal para o outro e também para nós, visto que estamos a gastar energia positiva no negativo, estamos a consumir-nos, a stressar, a perder a PAZ…



Se partirmos do pressuposto que os outros não estão a agir de má fé:

- eles não estão;

- mas, caso até estejam, isso irá transformar-se em algo não tão mal, degenerativo ou negativo.

Pensem nisto e coloquem em prática. Não nos traz nenhum bem a nós nem a ninguém, pensar ou achar que os outros estão de má fé ou pretendem prejudicar-nos.



Cada um é livre de acreditar no que bem entender. Mas há o reverso da moeda, é alguém fazer-nos acreditar em algo que não seja visto pelo prisma real:

- seja para nos fazer felizes;

- seja para nos demover de algo;

- seja para tomarmos uma atitude/decisão.

Não interessa o que importa é a “maneira” como se fazem as coisas e se atingem “objectivos”. Dignificante é a verdadeira atitude subjacente a esse(s) comportamento(s).

Devemos ser correctos, conscientes, honestos, leais, fiéis, dignos…



Fácil de dizer, difícil de compreender e duro de colocar em prática, I KNOW.



Compreender o que não sabemos nas entrelinhas de alguém às vezes é bem difícil.



Nós temos de forçar o melhor das pessoas com subtileza, paciência, tolerância, humildade, perspicácia…

Um mau gesto/palavra/atitude nosso conduz automaticamente a um mau gesto do outro, condicionando o diálogo/relacionamento/… a um estado desinteligência pura.



Já pensaram porque encontramos no nosso caminho tantas pessoas: mal humoradas, com falta de educação, antipáticas, má vontade, ‘mau feitio’… poderia mencionar uma lista sem fim, mas tudo vai desaguar no mesmo leito.

O que está subjacente a estes comportamentos: um nível de educação/formação deficitário, problemas de toda a ordem, falta de amor próprio, carência de atenção/compreensão/amor por parte dos outros.

Penso que a maioria dos comportamentos negativos se prendem com o facto de as pessoas terem falta de amor e atenção, por parte do seu semelhante e isso inevitavelmente e inegavelmente conduz aos restantes problemas.



AMOR é a chave de tudo na terra.



Eu reconheço que por vezes ‘nos sai a tampa’, porque pessoas há com comportamentos que realmente tiram qualquer um do sério. Contudo se soubermos ser justos e assertivos, num ápice colocamo-las no 'seu' sitio, subentenda-se sempre com RESPEITO.



DESCULPA/POR FAVOR/OBRIGADO, são três palavras mágicas, simples, quando bem intencionadas e aplicadas com um tom de voz calmo, agilizam a boa vontade das pessoas, bem conseguidas, ninguém ficará indiferente ao seu ‘toque’.

Acreditem que estamos a ajudar a fomentar a PAZ, à nossa volta.



Provavelmente é difícil compreender este vertedor de ideias/sentimentos/ideais se o leitor ainda não teve vivência destas e de outras experiências de vida. Mas prepare-se um dia irá ter certamente.

Ricardo Peixe disse...

Muito Obrigado pelo texto. Há algumas coisas com as quais concordo mesmo, mas a ideia geral é (na minha crença) muito muito muito acertada!!

Obrigado mesmo...